Trabalhar por produtividade ou para o relógio?

Essa é uma discussão antiga. A maioria das empresas exigem as duas coisas de seus funcionários, já que o contrato CLT de trabalho contempla isso. Este método de trabalho, na minha opinião, é antiquado. As pessoas não devem trabalhar pelo relógio, mas sim por tarefas e atingimento de metas. Porém, aqueles que trabalham sob o regime da CLT, ainda se encontram presos nesta regra de cumprimento de jornada.

O truque da hora extra

Ainda quando diretor de uma grande multinacional, tive problemas com este assunto também. Um colaborador no meu time, que entregava resultados muito bons, mas sempre com necessidade de trabalhar perto de 12 horas por dia. Quando entrei no detalhe da produtividade destas 12 horas, percebi que existiam ali alguns problemas. Neste caso específico, descobri que era proposital.

Em média, ele gerava 4 horas extras por dia, apenas para aumentar seu salário. Por ser solteiro e morar sozinho, ficar na empresa além do horário não era um problema para ele. O que as pessoas não sabem é que, além de ser ilegal (CLT exige descanso interjornada), essa prática baixa a produtividade, já que o cansaço se acumula. Acompanhando mais de perto, as 12 horas nem sempre estavam focadas no trabalho do dia a dia, perdendo espaço para páginas de compra na internet, WhatsApp, Facebook, Instagram etc.

Em resumo, identifiquei que meu colaborador trabalhava 8 horas por dia e fazia coisas pessoais nas outras 4 horas dentro da empresa. Justo ganhar hora extra? Tive que burocratizar o sistema e só poderia ultrapassar as 8 horas trabalhadas quem tivesse minha autorização (por escrito).

Trabalhe como se fosse o dono do negócio

Por outro lado, nunca gostei das pessoas que ao término das 8 horas de trabalho deixa a “caneta cair” ou “o e-mail pela metade”. Acredito muito no bom senso das coisas e no resultado. Tudo tem que ter um balanceamento. Muito do que o home office de hoje está ensinando, tanto aos gestores quanto aos colaboradores, é trabalhar isso. O grau de responsabilidade de todos tem que ser muito maior com relação a meta combinada do que com as 8 horas de trabalho que o relógio marca. Quando as pessoas aprenderem a trabalhar como se fossem donos do negócio, cumprir o horário de trabalho será o menos relevante.

E você, o que acha de tudo isso? Quem trabalha na área comercial, por exemplo, e bate sua meta trabalhando 6 horas por dia, deve ter sua meta aumentada para chegar nas 8 horas diárias? Deveria continuar trabalhando para superar ainda mais sua meta? Deveria ir embora pois já entregou o resultado? Compartilhe conosco sua opinião.
Um grande abraço e boas vendas!

0 respostas

Deixe uma resposta

Tem uma opinião sobre o assunto?
Fique à vontade para comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *